Mulheres possuem maior índice de aprovação em redações de processos seletivos, aponta pesquisa

A redação é uma das avaliações que são constantemente utilizadas em seleções, concursos e vestibulares. No entanto, representam uma “pedra no sapato” para alguns candidatos.
Diante disso, para mensurar o desempenho de candidatos nas redações, o Nube – Núcleo Brasileiro de Estágios, realizou uma pesquisa anual entre os dias 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2012. Foram avaliados o desempenho de 1.147 participantes em busca de uma colocação no mercado e os resultados são curiosos.
As mulheres ficaram com um maior índice de aprovações, 85,5%. Já os homens tiveram um desempenho menor, apenas 80,7% foram aprovados. Para Erick Sperduti, coordenador de recrutamento e seleção do Nube, “as candidatas se interessam mais pela leitura, seja em romances, revistas, etc. Sendo assim, absorvem um maior repertório de palavras e estabelecem uma maior concordância no momento de elaborar uma redação”.
Além disso, a reprovação é maior entre os estudantes de 15 a 18 anos (27,5%) em relação a 19 a 25 anos (16,5%). No Ensino Médio,  26,1% são reprovados e no superior 17,4%. Segundo Sperduti, “o jovem do ensino médio ainda não possui uma variedade de vocabulário, com relação aos demais, dificultando a elaboração de um bom texto. Somado a esse fator, temos a falta de interesse em escrever. Navegar na web, ouvir rádio e ver televisão são mais atrativos para esse público”.
Os cursos de Direito (90%), Engenharia Civil (88%) e Engenharia Mecânica (86%) estão no topo dos bons resultados. Em contrapartida, estudantes de Turismo (66%), Educação Física (33%) e Publicidade (27,5%) tem os piores números.
Para o especialista, uma boa alternativa é aproveitar o valor mais acessível dos livros: “livrarias oferecem promoções com queda constante. Alguns aplicativos da Internet favorecem, de uma maneira mais prática, o incentivo à leitura e escrita. Isso pode ajudar muito o jovem em busca de sucesso em processos seletivos”, explica Sperduti.
Hiohanna Conceição, apoio à gerência na empresa de solução de voz para call center Total IP, conta como avalia os candidatos. “A redação é uma maneira segura de examinar, pois é utilizada todos os dias na comunicação com clientes e fornecedores. Quem escreve melhor, certamente redigirá um bom e-mail, por exemplo”, afirma Hiohanna.
É importante organizar os assuntos a serem redigidos. “Tudo precisa ter uma introdução, um desenvolvimento e uma conclusão, ou seja, um começo, meio e fim”, finaliza Sperduti. Hiohanna deixa uma última dica: “nunca escreva em 1ª pessoa. Usar “eu acho”, “eu penso”, “eu acredito”, deve ser evitado. Além de um bom conteúdo, reler o material ajuda a captar erros e corrigi-los antes da entrega. A pressa, neste caso, só prejudica”.

Deixe uma resposta