“As empresas familiares devem buscar a harmonia possível” afirma Eduardo Najjar

 
O futuro das empresas familiares foi o tema da palestra do administrador Eduardo Najjar, no segundo dia do Pajuçara Management, no Centro de Convenções, no Jaraguá. Resultado de mais de 20 anos de experiência no atendimento a famílias empresárias, a apresentação de Najjar destacou os aspectos mais relevantes no momento de planejar uma sucessão.
“Nas empresas familiares razão e emoção estão sempre presentes. Por mais que possa soar estranho, é preciso proteger a empresa da família. Quando digo isso, quero lembrar que o principal motivo das empresas não conseguirem chegar à segunda geração são os conflitos familiares e não a má gestão”, explicou o consultor.
Segundo o palestrante, uma pesquisa aponta que apenas 40% da empresas familiares conseguem fazer a transição da primeira para segunda geração, e 30% da segunda para a terceira.  “A transição do acionista que comanda a empresa para o sucessor depende muito da transmissão dos valores da organização: de onde veio a empresa, como foi criada, quais os principais objetivos”.
Para uma empresa familiar obter sucesso, é necessário, além de  excelência na gestão, um grupo leal de acionistas e uma família unida e compromissada. “É impossível numa família, por menor que seja, que todos se gostem. Porém, todos têm de buscar a ‘harmonia possível’. Uma disputa judicial é o pior que pode acontecer para uma empresa familiar”, alertou Eduardo Najjar, lembrando que, muitas vezes, a empresa familiar sobrevive da tradição: “a tradição está calcada na família, que por sua vez, está baseada na harmonia”.
Na ocasião também foram apresentados os principais conflitos das famílias empresárias. “O tratamento igual entre familiares que se comportam de maneiras desiguais, a resistência em abrir mão de posturas e atitudes, a competência para assumir determinados cargos são algumas das queixas”, aponta Najjar, lembrando que a harmonia familiar é o segredo do sucesso. “Precisamos transformar diferenças em interesses comuns”, sugeriu.
O processo para despertar novas lideranças também foi tratado como fator fundamental para que a sucessão tenha êxito. Antecipar mudanças, inspirar, dar o exemplo, motivar as pessoas, agir com pró-atividade, criar e atingir metas, estimular a equipe de trabalho são alguns requisitos, segundo Najjar, para o perfil de um líder.

Deixe uma resposta