Home office trouxe novos desafios para gestores

Home office trouxe novos desafios para gestores

Comunicação e planejamento são essenciais para manter equipes engajadas. Feedbacks assertivos também ajudam a manter a motivação dos colaboradores 

Muitas empresas, por conta da pandemia do novo coronavírus, adotaram o home office. A mudança foi brusca: de uma hora para outra, líderes e colaboradores precisam se adaptar à nova realidade no mundo do trabalho mesmo sem terem, em alguns casos, muita expertise. Para os gestores, o desafio é saber gerenciar equipes de forma remota.

Para o empresário e CEO da Proesc.com, Felipe Góes Ferreira, nesse momento em que as pessoas estão trabalhando em casa, um dos maiores desafios é manter o engajamento das equipes. Os colaboradores precisam estar alinhados com os objetivos e os resultados da organização e motivados para ajudar a empresa a alcançar os resultados desejados. “Cabe ao gestor fazer esse planejamento e promover esse engajamento e o monitoramento sistemático dessa equipe durante esse período remoto”, diz.

Habilidades necessárias

Felipe usa o Scrum para manter o engajamento das equipes que estão em trabalho remoto.

Para gerenciar equipes remotas, os gestores precisam desenvolver uma habilidade essencial: saber dar feedbacks. Ao perceber que alguém está fora de sintonia com o processo, esse gestor precisa ser assertivo e construtivo para ajudar esse colaborador a voltar para o trilho. “O gestor precisa desenvolver essa habilidade para saber quem está ali produzindo, dando resultados, e quem está um pouco mais disperso, ou quem as vezes está até preocupado com alguma coisa. A gente precisa entender isso a atuar de uma forma bem rápida para que todo mundo esteja bem alinhado”, explica Felipe.

Planejamento essencial

O gestor precisa planejar e definir tarefas. Caso contrário, alguns colaboradores podem ficar “soltos” e terem a impressão de que não há nada para fazer, mesmo a empresa tendo muitas demandas e necessidades. Felipe sugere que os líderes podem adotar a técnica de ação 5W2H, que é um “checklist de atividades específicas para criar e organizar um projeto com o intuito de realizá-lo com o máximo de clareza e eficiência”.

Além de distribuir e definir as ações, ele diz que o gestor precisa monitorar os resultados das atividades. O planejamento passa, ainda, segurança para os colaboradores. “Ter segurança é importante para que as pessoas se dediquem sem aquele sentimento de ansiedade e medo”, justifica.

Comunicação clara

Muito antes da pandemia, boa parte das empresas já contavam com ferramentas eficientes de gerenciamento e comunicação. Contudo, em tempos de home office, Felipe ressalta a importância de definir os horários dessa comunicação. “As vezes, nesse ambiente de trabalho remoto, as pessoas podem perder um pouco a noção do tempo. É bom estabelecer algumas regras”, afirma, ressaltando também a necessidade de estabelecer canais específicos de comunicação para cada setor e a realização de reuniões periódicas para fazer o alinhamento das ações.

Scrum a seu favor

Na empresa do Felipe, o Scrum tem sido uma aliada para manter o engajamento das equipes, principalmente em tempos de trabalho em casa. Quem ainda não conhece essa ferramenta, ela é uma metodologia ágil para gestão e planejamento de projetos. “Todos os dias nos reunimos, por 15 minutos, para que possamos compartilhar as tarefas planejadas, as que foram entregues ou em andamento e falar das dificuldades que possam surgir”, comenta.

A cada 15 dias, a equipe planeja as ações da próxima quinzena e, nessa ocasião, eles fazem uma retrospectiva do que aconteceu de bom ou ruim durante o período, trocam feedbacks e alinham a comunicação. “O Scrum é uma ferramenta que tem nos ajudado muito no gerenciamento de equipes remotas. A diferença é que já usamos isso há muito tempo e ela já faz parte da nossa cultura”, comenta o empresário.

Quer saber mais sobre o Scrum? O CFA já falou desse assunto. Clique aqui e confira.

Ana Graciele Gonçalves

Fonte: ASCOM CFA

Fechar Menu